Livros de março: o fim do Quarteto de Noivas

Foto: Reprodução/ Pinterest

Foto: Reprodução/ Pinterest

Fazia tempo que não aparecia por aqui, estou há quase um mês ensaiando a minha volta, mas confesso que a preguiça tem me pagado de jeito. Poderia fazer um post explicando o meu sumiço, mas acho que isso não faz diferença por aqui. O que posso dizer é que tive que priorizar meu mestrado e, por isso, acabei deixando outras áreas da minha vida de lado.

Mas agora quero voltar a ser produtiva e nada melhor do que colocar o blog de volta nos eixos. Para atualizar vocês, vou contar o que li no mês de março e daqui alguns dias volto para contar o que li em abril e agora em maio. Infelizmente, também não li tanto quanto gostaria, mas ainda acredito que vou conseguir terminar o ano com a média de quatro livros por mês (torçam por mim!!!).

Os 4 livros de março

Fotos: Divulgação

Fotos: Divulgação

Em março eu consegui ler os quatro livros, mas confesso que tive que dar um jeitinho para conseguir bater minha meta. Terminei de ler um livro já começado e li outro de tão fácil leitura que acho que nem posso dizer que valeu como um livro. Vou detalhar tudo para vocês:

Felizes Para Sempre (Nora Roberts)Comecei o mês terminando a série Quarteto de Noivas. O livro quatro, Felizes para sempre, conta a história da Parker e é tão lindo quanto os outros. A série é linda e para quem gosta de livro romântico, tem que ler. Quero muito agora comprar outros livros da autora para descobrir se todos são tão lindos quanto estes.

Personal Branding (Arthur Bendee)Finalmente terminei de ler Personal Brandig. O livro é bem legal e nos leva a reflexões sobre os nossos objetivos de vida. O único problema que me fez demorar tanto para finalizá-lo (comecei a ler em dezembro, se não me engano) é porque chega uma parte em que ele começa a ficar repetitivo e o que eu esperava com esse livro era aprender mais sobre personal branding e no final ele é mais um livro de auto-ajuda.

O Segredo Do Meu Marido (Liane Moriarty)Sabe aquele livro que você compra mais pela capa do que pela história, então, esse é um dos casos. Sem dúvidas é a capa mais linda que tenho na minha estante. A história, no entanto, não deixou a desejar. O livro é narrado por três mulheres, o que acaba deixando a história mais dinâmica e curiosa. Tudo gira em torno do segredo escrito em uma carta há algum tempo. Não espere umMentirosos, mas a história é bem legal e envolvente.

Branding: a arte de construir marcas (Marcos Hiller)Como queria muito ler quatro livros neste mês, acabei pegando este livro para ler que já estava a algum tempo na minha estante. Confesso que foi uma decepção total. O livro faz o que o próprio autor não recomenda que faça. Ele simplesmente copiou e colou os textos do blog e achou que isto era escrever um livro. Eu achei que ia aprender alguma coisa sobre branding, mas o que li foi um monte de cases e textos desconexos. A minha sorte é que comprei na Black Friday e só paguei R$ 9,90 porque definitivamente não vale mais que isso.

Já leram algum desses livros?!

Obs.: Este post contém links para a minha página de afiliados na Amazon. Ao clicar e efetuar a compra, você estará me ajudando a ganhar um dinheirinho. Conto com a sua ajuda e agradeço a contribuição 😉

 

Anúncios

Livros de fevereiro: o mês da triologia Divergente

Foto: Reprodução/ Pinterest

Foto: Reprodução/ Pinterest

Fevereiro acabou e é hora de fazer o balanço de leituras do mês. Mais um mês que termina e que fico feliz com o tanto que li. Conclui quatro livros, o mesmo tanto do mês passado, mas dessa vez todos os livros lidos têm mais de 500 páginas, ou seja, foram mais de 2 mil páginas lidas o que, para mim, é uma marca e tanto.

Comecei o mês pegando para ler “Garota exemplar“, como muita gente diz que livro é ótimo e que também tem um final interessante como “Mentirosos“, achei que era um bom livro para ler em seguida. Li algumas páginas, mas acabei não avançando tanto. Até que no primeiro final de semana de fevereiro assisti ao filme “Divergente” e aí quis ler o livro para ontem.

O que acabou acontecendo é que passei o mês lendo toda a triologia porque a pessoa não consegue ler um livro da série e partir para outra história. E aí que acabei me empanturrando com esses livros e bem cansada de leituras, já que eles têm mais de 500 páginas cada um.

Aí, ao invés de pegar um livro mais tranquilo para o final do mês (com mais tranquilo entenda menos páginas), peguei outro com 500 páginas. Li “Férias!” que estava na minha estante fazia tempo e que já tinha tentado ler em outras oportunidades, mas nunca concluía.

Posso concluí que foi um mês bem interessante, com livros de ficção do jeitinho que eu gosto. Mas o detalhe vou deixar para a seguir, em que contarei um pouquinho sobre cada livro:

Triologia Divergente

Foto: Reprodução/ Veja

Foto: Reprodução/ Veja

Como disse anteriormente li neste mês os três livros da série. Há um outro livro chamado “Quatro“, mas pelo que fiquei sabendo não é continuação, apenas conta a história do personagem homônimo. O primeiro livro, “Divergente” é incrível, muito bom mesmo. O segundo, “Insurgente“, não é tão bom quanto o primeiro, mas é divertido. Já o terceiro, “Convergente“, é bem cansativo para falar a verdade, mas tem um final legal (pena que já sabia o que aconteceria por conta da boca do meu irmão que não consegue evitar de me dar spoiler).

Os livros são extensos, com mais de 500 páginas cada, e por isso precisa de muita história para encher todas essas páginas, o que não é tarefa fácil. Se eu indico a leitura? Sim, principalmente para quem gosta de distopia, mas “Jogos Vorazes” ainda continua sendo a minha distopia preferida.

Férias!

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Para finalizar o mês, quis pegar um livro mais leve e que já estivesse na minha estante. Ao invés de dar preferência para um livro menor, peguei logo um também com mais de 500 páginas e achei que não ia conseguir terminar de ler antes de fevereiro terminar. Mas não é que eu consegui! Terminei na sexta-feira, um dia antes do prazo final.

Gosto muito da Marian Keyes e amo “Melancia” e Casório?!“, outros livros dela que já li, mas “Férias!” não é dos melhores. Em vários momentos pensei em desisti e sempre era um sufoco começar a ler (depois que começava até que ia bem). Como estava lendo em formato edição de bolsa ainda tinha a falta de atrativo que podia ler, ler e ler e não saia da mesma página e isso é bem desanimador quando a história não é muito boa. Mas fiquei feliz por ter lido e terminado e quero muito ler os outros livros da série, já até coloquei “Sushi” na minha lista de desejos!

Compras: livros de fevereiro

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Depois de alguns meses sem comprar livros (desde novembro, né?!), acabei não resistindo e comprei dois livros para ler. Um que queria muito desde que lançou, “Felizes para sempre” para terminar o Quarteto de Noivas da Nara Roberts. Mês que vem falarei mais sobre a série e esse livro que ainda nem terminei de ler, mas já está no meu coração ❤

E outro, por indicação da Niina Secrets, “O segredo do meu marido“. Além da capa ser linda, a história parece ser bem interessante e é bem provável que eu o lei ainda este mês e portanto daqui a pouco conto mais sobre ele por aqui. Os dois livros saíram por menos de R$ 14 cada e achei que foi uma boa compra (em breve um postinho sobre como ler sem gastar muito 😉 ).

E quais foram os seus livros de fevereiro? Estou aceitando dicas de bons livros!

Obs.: Este post contém links para a minha página de afiliados na Amazon. Ao clicar e efetuar a compra, você estará me ajudando a ganhar um dinheirinho. Conto com a sua ajuda e agradeço a contribuição 😉

Hábito de leitura: como fiz para ler mais

Foto: Reprodução/ Pinterest

Foto: Reprodução/ Pinterest

Desde o ano passado estou tentando ler mais e fazer da leitura um hábito. Coloquei alguns objetivos e tenho tentado cumprir. Minha intenção é fazer dos livros um grande parceiro e, com isso, ampliar o meu conhecimento.

Sempre gostei de ler e, como já disse aqui, não tinha o hábito da leitura. Lia quando aparecia um livro legal e aí começava e não parava mais. Era até ruim porque deixava tudo de lado e só me voltava para as outras coisas quando acabava aquela leitura. Se era uma série, aí ficava complicado porque queria ler todos os livros .

Observando as pessoas que admiro, comecei a perceber que todas elas faziam da leitura um hábito diário e percebi que não seria um grande esforço acrescentar livros na minha rotina, afinal gosto de ler e sei que isso me faz bem. Percebi que poderia aprender sobre tudo o que me interessava lendo livros. Queria muito saber mais sobre várias coisas e os livros são um caminho para eu ter esse conhecimento.

Comecei então a me rodear de livros interessantes que eu gostaria de ler e a observar que espaços de tempo poderia incluir a leitura. Vi que gastava muito tempo fazendo nada na internet e que esse era um tempo que poderia usar para ler.

Como criei o meu hábito de leitura

Foto: Reprodução/ Miss Liz Heart

Foto: Reprodução/ Miss Liz Heart

Se você parar para ler os meus posts sobre leitura do mês vai perceber que eu comecei lendo pouco, dois livros por mês, e com o tempo fui lendo mais até alcançar o meu objetivo no mês passado que foi de quatro livros lidos.

Minha ideia é ler em média um livro por semana o que acho razoável e possível. Não adianta criarmos metas que sejam impossíveis de serem cumpridas, pois isso só nos desanima. Com a meta em mente fui criando o hábito e incluindo na minha rotina a leitura. Vou explicar para vocês como fiz:

Primeiro observei em que horários poderia ler que não atrapalhassem meu trabalho e nem os meus estudos (não conto os livros do mestrado como livros de leitura porque vejo eles mais como obrigação do que algo prazeroso). Daí criei dois horários de leitura que são logo depois do almoço, mais ou menos entre 13h e 14h, e depois a noite, mais ou menos a partir das 22h. Com isso, leio, em média, três horas por dia.

Em alguns dias acabo me perdendo na internet, mexendo no Pinterest ou vendo vídeos no YouTube, mas me permito porque são duas coisas que gosto bastante de fazer e não sinto que são totalmente inúteis como ficar vendo o Facebook sem nenhum intuito.

Quando estou lendo algum livro que está empacado, coloco metas de leitura para ele, como, por exemplo, ler ao menos 50 páginas por dia. Isso funciona para mim e me ajuda a terminar alguns livros que não acho tão interessantes. Não peguei ainda nenhum livro que fosse muito chato e que tivesse que abandonar. Sou persistente e leio o livro até o fim.

Leio um livro de cada vez, é isso que funciona para mim. Apesar do meu Skoob ter vários livros em andamento, podem apostar que estou lendo apenas um livro. A maioria dos outros que estão lá é para o mestrado. No entanto, agora ando pensando em ler um livro de ficção e um livro de não-ficção ao mesmo tempo porque ultimamente só tenho tido vontade de ler ficção.

Por conta da rotina, acabo lendo muito mais nos dias da semana do que nos finais de semana. Isso mostra que ter uma rotina ajuda muito a controlar a leitura. Como nos finais de semana não tenho rotina nenhuma, acabo não lendo. Isso é ruim? Não, porque acabo fazendo coisas diferentes, como ver filme, série, TV e etc.

Uma coisa que pode empacar a leitura é não saber o que ler quando termina um livro. Às vezes perco um ou dois dias pensando e pesquisando qual livro ler e isso, obviamente, não é legal. Mas ainda não consegui criar uma fórmula para determinar isso, sempre vou mais pelo gosto do momento o que acaba dando certo.

Conte um pouco sobre o seu hábito de leitura. Com certeza tem uma dica que vai nos ajudar a ler mais!

Livros de janeiro: o mês que voltei a ler ficção

Foto: Reprodução/ Pinterest

Foto: Reprodução/ Pinterest

Não só voltei como só li ficção nesse mês. Comecei no finalzinho de dezembro incluindo um livro de ficção, sem muita pretensão, só porque tinha “A Vingança Veste Prada” na minha estante e queria ler. Aí peguei outro livro de ficção porque era férias e isso acabou continuando com todos os livros de janeiro. E, por isso, acabei lendo bastante, conquistei a minha meta que é ler ao menos quatro livros por mês (um por semana, mais ou menos).

Vou contar agora quais foram os livros de janeiro e o que achei deles. Podem ler sem preocupação porque não darei spoiler.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Diabo Veste Prada (Lauren Weisberger): resolvi ler “O Diabo Veste Prada” porque como li o “Vingança” quis saber como era a história do livro, já que algumas coisas no segundo livro não fazia muito sentido se comparado ao filme. Li o livro na semana que fiquei na praia e assim como o segundo livro é um livro bem divertido, mas não tem nada de muito mais. Para quem assistiu só o filme, vale a leitura porque os dois são bem diferentes e divergem em vários pontos. Claro que a história em si é a mesma, mas alguns pontos importantes do enredo e de características de personagens são diferentes. E, não sei se é porque a minha paixão pelo filme já vem de longa data, mas confesso que gostei mais do filme do que do livro.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Círculo (Dave Eggers): esse livro eu baixei também para ler na praia quando procurando por livros para ler, achei uma matéria que indicava “O Círculo” como um dos melhores livros de 2014. No entanto, eu não gostei muito da história. Demorei para engrenar e em nenhum momento senti empolgação com a história e, para mim, isso é fundamental. No entanto, não me arrependi de ter lido porque acho que para quem trabalha com comunicação, a reflexão que o livro trás é bem válida. Resumindo a história: o Círculo é uma nova empresa no ramo comunicação/internet/novas tecnologias que está na liderança do mercado e já adquiriu a maioria das empresas do ramo como o Google e o Facebook. Toda pessoa sonha trabalhar no círculo e (nome da personagem) acaba de entrar na empresa. E é a história dela na empresa que acompanhamos no livro.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os Delírios De Consumo De Becky Bloom (Sophie Kinsella): depois de ler “O Círculo” acabei ficando em dúvida sobre o que leria em seguida. Precisava terminar de ler “Personal Branding” que comecei em dezembro, mas que não tinha colocado a mão em janeiro. Li algumas páginas e acabei desanimando (quando terminar de lê-lo conto o porque). Então vendo vídeos no YouTube me surgiu a vontade de começar a ler a série da Sofia Kinsella e lá fui eu ler “Os delírios de consumo de Becky Bloom”. Li o livro bem rapidinho, acredito que não tenha demorado mais do que um par de dias para ler. A leitura é bem facinha além de ser bem divertido. A única coisa que me deixou intrigada é que ela é tão consumista que em alguns momentos me dava até uma agonia. Mas pretendo dar continuidade à série em breve e também rever o filme.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Mentirosos (E. Lockhart): para terminar o mês, tive o privilégio de ler um dos melhores livros que já li. Mas não quero falar muito aqui sobre “Mentirosos” porque ele é um livro para a gente ler sem muitas informações. A única coisa que sabia era que o final era sensacional e, acreditem, mesmo vocês sabendo disso e criando expectativas para o final, vocês vão achar o final sensacional, não tenho dúvidas. Coloquem esse livro na lista de leituras de vocês e leiam. Vale muito a pena, além de ser uma leitura rapidinha e com uma linguagem incrível.

Esses foram os livros que li esse mês e novamente não comprei nenhum livro (pelo menos não em papel). Só quero comprar livros quando tiver lido a maioria da minha estante. E como tenho alguns para ler, principalmente os livros da última leva que ainda não finalizei nenhum, não pretendo comprar livros tão cedo.

Para o próximo mês, pretendo ler ao menos quatro livros. Quero continuar lendo ficção porque é algo que amo fazer, mas também pretendo finalizar alguns livros de não-ficção que tenho na minha estante.

Quais foram os seus livros de janeiro? Já leu alguns dos livros que citei? Se sim, me conte o que achou!

Obs.: Este post contém links para a minha página de afiliados na Amazon. Ao clicar e efetuar a compra, você estará me ajudando a ganhar um dinheirinho. Conto com a sua ajuda e agradeço a contribuição 😉